12 setembro, 2008

JOHN





Ainda hoje fecho os olhos e você me vem à lembrança num filme em preto e branco, descendo as escadas do avião para reescrever a história. E a história da música, que nunca mais foi a mesma.
Onde você esteve esse tempo todo?
Ainda hoje as imagens não me saem da cabeça. Aquelas meninas, gritando histéricas, chorando por um amor de um tamanho que não caberia na vida delas. All my Loving.
Quanta ilusão.
Ainda hoje as canções continuam poderosas, mexem profundamente. Por que será?
Houve um tempo em que músicas eram tratadas como canções e cantadas com a alma.
Nós não atravessamos Abbey Road, não tomamos um trago no Cavern nem imaginamos o que um dia tenha sido a Sweet London.
Talvez isso explique algo.



wallace puosso

3 comentários:

  1. Salve, Salve!
    Ainda hoje podemos encontrar quem cante com a alma, difícil é achar alguém a altura "dele" que tenha tanto poder mudar a história da música, dá uma olhada no meu novo blog, descobri um cantor português que me encantou.
    Aproveita p/ dizer se gostou do novo visual do passageiros, e muda meu blog aqui no seu o espelho da alma não existe mais, agora ando em busca das estrelas.
    Bj

    ResponderExcluir
  2. A felicidade é uma arma quente, diria Belchior.
    E o é com certeza.
    congratulaciones

    ResponderExcluir
  3. eu gostaria muito de ter vivido naquele tempo, ser jovem e prestigiar a juventude daquela época, realmente em certos momentos utópica...
    vamos trilhar e continuar o caminho dos grandes mestres da humanidade...
    abraço

    ResponderExcluir